Alhos com Bugalhos

Alguém seria tão ingênuo de imaginar que Lula não sabia, mesmo, de nada?

Alguém acredita que sua família enriqueceu honestamente?

Alguém acredita que Zé Dirceu, Genoíno, Delúbio, Palocci e tantos outros bandidos do Partido da Bandidagem podem ser inocentes? 

Estas perguntas apenas demonstram e exemplificam que, da mesma forma que é difícil fazer algo contra esses graves crimes cometidos contra a Nação, que há muito permanecem sem a devida punição, muito mais difícil será conseguir alguma lei que proteja NOSSA LÍNGUA DO PÉSSIMO USO QUE DELA FAZEM OS NÃO MENOS PÉSSIMOS PROFISSIONAIS DA MÍDIA.

pessoas públicas tem por obrigação praticar o bom portuguê, tentar falar o mais corretamente possível, pois serão exemplos para muitos.
pessoas públicas tem por obrigação praticar o bom português e tentar falar o mais corretamente possível, pois serão exemplos para muitos.

Puxa, minha indignação quase esgotada tem origem, justamente, neste ponto. De PATERNALISTAS acusavam o Governo Militar, que para mim e meus familiares nunca mal algum fez, talvez porque éramos trabalhadores, acreditávamos em nosso Brasil e não éramos chegados em comunismo nem em libertinagem homossexuais, como Gil e Caetano, agora nos tratam como idiotas quando dizem o tradicional, nojento e imoral “eu não sabia”, criado por ninguém menos que o ex-presidento ladrão, que era amiguinho de Celso Daniel e que junto com seus respectivos familiares, despudoradamente, enriqueceram-se. Mas, como típicos  Brasileiros, continuamos a nada fazer.

Não acho que aqueles eram paternalistas, mas tenho certeza que o lulopetismo é, deliberadamente, IDIOTIZANTE E EMBURRECEDOR”. O lulopetismo não descobriu isto por acaso. O lulopetismo não agiu e continua agindo desta forma por simples acaso. Assim age e procede porque seus pensantes Vannucci, Franklin Martins, Dirceu e outros, estudaram-nos. Estudaram nossas reações, fraquezas, necessidades e chegaram à simples conclusão de que somos facilmente influenciáveis, vergonhosamente pacíficos e acomodados. Choca, mas é verdade… Infelizmente!

O ex-presidento, orientado por seus marqueteiros, passou a investir na imagem de “brasileiro povão”, aquele que mal consegue expressar-se, aquele que desconhece a existência de um parágrafo sem erros grosseiros de gramática, o que para ele não foi difícil devido á sua pouca cultura e à aversão que sempre nutriu pela educação e pela leitura, conforme ele próprio confirmou. Deu certo! Imediatamente o povo aplaudiu o ex-torneiro que era acara do povo. De repente via-se brasileiros imitando o energúmeno, novelas apresentando personagens que repetiam os mesmos erros gramaticais do presidentO, âncoras de telejornais foram , como se tivessem combinado, adotando mataverbismo  do nefasto lula e também repetiam coisas de se arrepiar os cabelos tais como

Eslas fazem questão de todos os dias competirem para ver que assassina mais o vocábulo. a Gloria parece delirar de satisfação a cada palavra assassinada. É UMA VERGONHA! SOCORRO!
Estas fazem questão de todos os dias competirem para ver quem assassina mais A NOSSA LÍNGUA. A Gloria parece delirar de satisfação a cada palavra assassinada.
É UMA VERGONHA! SOCORRO!

falô, fumô, pegô, nóis, tamô, pegá, fazê, comê, decê (do verbo descer, pasmem), amarrá.

Surpreendentemente continuamos aplaudindo até hoje, quando vemos profissionais de terceira, a exemplo de Glórias Vaniques e MAJUS da vida, imitando fielmente a fala do lula e FAZENDO QUESTÃO DE CERCAREM-SE DE IGUAIS. Temos ainda, como fruto do lulopetismo, muitas como a Sherazade, que escrevem bem, mas que insultam nossos ouvidos todas as manhãs como apropria Sherazade na JP, ao lado de Marco Antônio Vila e Reinaldo Azevedo, deuses de nossa direita que já estão se bandeando para o lado dos mata-verbos, INFELIZMENTE. Gostaríamos que ao falarem ao microfone da JP, maior rede do país, seguissem o Joseval Peixoto e não a mula Lula. Poderiam assistir o e ouvir, também, o Boris Casoy, Renato Machado, a (um tanto esquerdista) Maria Lídia: um paulista, um carioca e uma mineira que cada um com seu sotaque, não matam verbos. Ao ouvi-los, nossos ouvidos agradecem!

VEJA COMO FALAVA O RODRIGO BOCARDI QUANDO INICIOU E COMPARE NOS DOIS VÍDEOS COMO ELE FALA HOJE. MATAR VERBOS PARECE SER CONDIÇÃO PARA SER TELEJORNALISTA.

VEJA COMO O RODRIGO BOCARDI de  2015, E SEUS COLEGAS DE TRABALHO INSISTEM  EM MATAR VERBOS.

A impressão que deixa é que os reitores e diretores de faculdades e produtores de jornalismo foram contaminados com o vírus da ignorância e da preguiça de falar que o APEDEUTA  Lula disseminou neste país. Este vírus que faz os contaminados odiarem o “u”, e o “r”, que por este motivo contratam professores que não ensinam seus alunos que não se deve tirar o r  da palavra parar para se dizer “pará”, ou o “u”, senão fica “parô”, criando monstruosidades como” persseguí, fugí, iludí…”. CREDO!

Senhores REITORES, DIRETORES DE UNIVERSIDADES, SENHORES PRODUTORES E DIRETORES DE

Ótima profissional quando, escreve , e escreve bem , com muita clareza,ótimo raciocínio, lE muito bem, mas falando no improviso parece sósia do Lula. é Uma pena, pois poderia esmerar-se um pouco.
Ótima profissional quando, escreve , e escreve bem , com muita clareza,ótimo raciocínio,  mas falando no improviso parece sósia do Lula. é Uma pena, pois poderia esmerar-se um pouco.

JORNALISMO, vocês também são os grandes responsáveis pela educação de nossos jovens, de nossas crianças. Os primeiros por educarem e formarem profissionais, os segundos por entregarem um microfone nas mãos de um profissional que levará a informação aos milhares de ouvintes, devendo, além da informação, levar educação, cultura e APREÇO POR NOSSA LÍNGUA. PORTANTO, SEUS IRRESPONSÁVEIS, DEIXEM DE IDOLATRAR A IGNORÂNCIA E O DESRESPEITO QUE LULA DEMONSTRA PELA EDUCAÇÃO E PELA CULTURA E FAÇAM SUA PARTE, DEIXEM DE CULTUAR A IGNORÂNCIA.

Agora, que tem apenas 7% apoiando o PARTIDO DA BANDIDAGEM, mesmo que este índice chegue a 1%, mesmo que eliminemos o PARTIDO DA BANDIDAGEM DA FACE DA TERRA, EXISTEM COISAS IRREVERSÍVEIS que jamais poderão ser reparadas, infelizmente nada mais poderemos fazer. A maldita herança deixada pelo lulopetismo com o beneplácito da imprensa e de seus profissionais da comunicação permitiram que o desrespeito à nossa língua e a sensação de impunidade se arraigassem em nossa sociedade, em nossas vidas. Para falar o mínimo. Salvo raras exceções como a Veja e o Estadão, que não se deixam levar pelo modismo de matar verbos ,o resto é resto e como tal seguem sem oposição da sociedade.

Anúncios

SEU COMENTÁRIO É IMPORTANTE - OBRIGADO

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s