O eleitor ordinário

UM POVO ORDINÁRIO, que elegeria lula, Dilma, mensaleiros e toda sorte de corruptos logo no 1º turno, não pode reclamar da péssima situação da Educação, Saúde e da Segurança. Tudo isso ainda é pouco para eleitores que viram as costas para a honestidade, pois estes merecem viver na ignorância, definhar em macas de hospitais sucateados do SUS e sendo assaltados na esquina de casa.

trairão
Aécio trairão e o bandido

De se lamentar é apenas o peso do fardo jogado nas costas daqueles opõem-se à bandidagem descarada desse governo bandido, propriedade do não menos bandido Lula que, ainda desfilando ileso, pisoteia cinicamente o Congresso e Tribunais deste País que se recusam a investiga-lo, passando para a maioria da população que o apoia a imagem de que ele está acima de tudo, que ele está certo e que erradas estão as leis das “zelites”, ao mesmo tempo em que deixa o sabor amargo da decepção e do desalento àqueles que lutam e anseiam por um Brasil livre de bandidagens e de corruptos, de modo a cala-los, enfraquecê-los, com o desânimo que prospera no meio destes.

Assim como a popularidade, a presidente Dilma Rousseff (PT) recuperou também a intenção de voto, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada na edição dominical daFolha de S.Paulo que circula neste sábado. No cenário mais provável, tendo como adversários Marina Silva (Rede), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), Dilma tem 35% das intenções, ante 30% na pesquisa anterior, de junho, seguida pela ex-ministra do Meio Ambiente. Marina tem 26% da preferência, três pontos acima dos 23% da pesquisa anterior.

Veja também:
link Popularidade de Dilma sobe seis pontos e chega a 36%
link Popularidade de Dilma bate no fundo, quica no papa e sobe

 

Aécio recuou 17% para 13% e o governador pernambucano Eduardo Campos variou de 7% para 8%. Mesmo com a reação, Dilma ainda enfrentaria um segundo turno, nesse caso com Marina, se as eleições fossem hoje. A soma de votos brancos, nulos e dos que não votariam em qualquer candidato atingiria 13% e outros 5% dos ouvidos não sabem em quem votar.

O Datafolha traçou ainda um cenário com a candidatura de José Serra (PSDB) e com a inclusão do também tucano Aécio para avaliar o posicionamento do ex-governador paulista, cujo futuro ainda é incerto. Neste caso, Dilma teria 32%, no seu pior posicionamento entre as avaliações, Marina 23%, Serra 14%, Aécio 10% e Campos 6%.

Com a entrada do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa no páreo, que teria 11% dos votos, ante 15% no levantamento anterior, Dilma teria 33% das intenções, Marina 22%, Aécio 12% e Campos 6%. Brancos, nulos e nenhum candidato somados chegariam a 11% e 5% não saberiam em quem votar.

Dilma mantém 32% das intenções de voto também no cenário análogo, mas com Serra substituindo Aécio. O ex-governador paulista aparece com 15% dos votos nessa avaliação, o melhor cenário da pesquisa para o tucano. Na disputa aparecem ainda Marina em segundo lugar, com 21%, Joaquim Barbosa com 11% e Campos se sustenta com 5%.

Lula

Outro destaque da pesquisa é o posicionamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que venceria em primeiro turno, com 51% dos votos, o que representa um avanço de cinco pontos em relação à pesquisa de junho, quando tinha 46% das intenções de voto. Esse cenário de vitória sem segundo turno se configura na disputa com Marina, que ficaria com 20% dos votos ante 19% da pesquisa anterior, seguida da Aécio, cuja intenção de voto caiu de 14% para 11%.

Campos teve ligeiro avanço nesse cenário e passou a ter 5% das intenções de voto, ante os 4% apurados na pesquisa anterior. Esse cenário exclui Joaquim Barbosa e Serra. Com a entrada apenas de Barbosa, Lula teria 50% das intenções de votos, Marina 17%, o presidente do STF 10%, Aécio 9% e Campos 3%. Nessa avaliação, apenas Lula e Marina avançariam, pois tiveram respectivamente, 45% e 14% no levantamento de junho.

Com a entrada de Serra nesse último cenário, o ex-governador paulista teria 9%, acima de Aécio, com 8%, empatado com Joaquim Barbosa, também com 8%, e a frente de Eduardo Campos (3%). Assim como nos cenários anteriores sem Dilma, Lula lideraria e Marina ficaria em segundo. O ex-presidente teria 50% dos votos, ante 45% em junho, a ex-ministra variaria de 14% para 17%.

O Datafolha ouviu 2.615 eleitores entre quarta-feira, 7, e sexta-feira, 9, em todo o País, com margem de erro de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo

Gusatavo e Bianca Ribeiro – Agência Estado

Anúncios

SEU COMENTÁRIO É IMPORTANTE - OBRIGADO

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s